Esporte na Tela

Após Naomi Osaka desistir do Roland Garros, organização muda discurso

A tenista havia sido punida por se recusar a dar entrevista após a primeira partida do evento
Foto: Loic Wacziak/FFT Saída de Naomi Osaka do Roland Garros causa repercussão negativa
Saída de Naomi Osaka do Roland Garros causa repercussão negativa

A tenista japonesa Naomi Osaka, atual número 2 do ranking mundial feminino, anunciou nessa segunda-feira sua desistência do Roland Garros após exigências da organização do torneio. A atleta afirmou que não pretendia participar das coletivas de imprensa, e assim fez após vencer a primeira partida da competição contra a romena Patricia Maria Tig.

De acordo com o regulamento do torneio, os tenistas precisam comparecer as coletivas de imprensa, e como a tenista japonesa descumpriu essa regra foi multada no valor de US$ 15 mil (cerca de R$ 78 mil). Após a multa a atleta anunciou oficialmente que não vai mais participar do evento.

A atleta publicou em suas redes sociais que a decisão de não conversar com a imprensa foi tomada alegando estar preocupada com a "saúde mental dos atletas".

O desabafo da tenista nas redes sociais causou uma grande repercussão, tanto entre patrocinadores quanto entre atletas de outros esportes. O muilticampeão da Formula 1 Lewis Hamilton se solidarizou e apoiou a decisão da atleta.

"Nós somos apenas seres humanos. Saúde mental não é brincadeira, isso é real e sério. É preciso muita coragem para lidar com isso. Vamos garantir que Naomi Osaka saiba que não está sozinha. Hoje é um bom dia para verificar como seus amigos e pessoas queridas estão, e falar que eles não estão sozinhos. Um simples texto pode ajudar", declarou o heptacampeão de automobilismo em suas redes sociais.

Após a repercussão do ocorrido, os torneios de Grand Slam de tênis do mundo se aliaram em um discurso sobre a saúde mental dos atletas.

"A saúde mental é um assunto muito desafiador e que merece nossa maior atenção. É complexo e pessoal, pois o que afeta um indivíduo não afeta necessariamente outro. Elogiamos Naomi por compartilhar em suas próprias palavras as pressões e ansiedades que ela está sentindo e sentimos empatia com as pressões únicas que os jogadores de tênis podem enfrentar. Embora o bem-estar dos jogadores sempre tenha sido uma prioridade para os Grand Slams, nossa intenção, junto com a WTA, a ATP e a ITF, é melhorar a saúde mental e o bem-estar por meio de outras ações. Juntos, como comunidade, continuaremos a melhorar a experiência dos jogadores em nossos torneios, inclusive no que se refere à mídia. A mudança deve manter o princípio do jogo justo, independentemente de ranking ou status. O esporte exige regras e regulamentos para garantir que nenhum jogador tenha uma vantagem injusta sobre outro", destaca o comunicado emitido nessa terça-feira.