Esporte na Tela

Justiça Federal em Sergipe anuncia leilão do estádio João Hora

O estádio é a casa do Club Sportivo Sergipe e é avaliado em R$51.500 milhões
Foto: CSS/ Divulgação Estádio João Hora, em Sergipe
Estádio João Hora, em Sergipe

O Club Sportivo Sergipe, após o final do Campeonato Brasileiro Série D, tem problemas para resolver na parte extracampo. O clube teve o estádio João Hora, casa do Sergipe, levado a leilão pela justiça federal por conta de débitos previdenciários contraídos pelo clube.

A praça esportiva é avaliada em mais de R$ 51 milhões, e vai ser posto a leilão oficialmente no dia 19 de outubro. Os advogados do clube foram solicitados e estão tomando as providências necessárias para suspender o leilão. O presidente do clube, Ernan Sena, destacou que já se movimenta para conseguir resolver a situação com a justiça.

- A gente já tinha contratado, desde o início do ano, um escritório de advocacia para trabalhar somente essa parte da redução e extinção dessa dívida fiscal e tributária que existe. Já estávamos sabendo da situação e já vínhamos trabalhando para suspender esse leilão. A gente quer deixar o torcedor tranquilo de que, até a data necessária para ser interposta uma ação, a gente vai estar se movimentando para resolver o quanto antes essa situação e suspender o leilão – disse o cartola.

O clube, por conta da campanha estadual nesta temporada, tem uma vaga garantida na fase de grupos da Copa do Nordeste em 2022. O Gipão emitiu uma nota oficial para explicar ao torcedor o motivo da penhora, na tarde desta terça-feira.

Confira nota divulgada pelo clube

A Diretoria do Club Sportivo Sergipe explica que, trata-se de uma execução fiscal movida pela União que visa cobrar do Sergipe débitos previdenciários datados desde 1988.

Já havia um escritório de advocacia trabalhando na redução dessas dívidas fiscais e tributárias e já estão tomando as medidas cabíveis para a suspensão do leilão. Assim, até a próxima segunda-feira 18, prazo para interposição de ação judicial, serão tomadas as providências necessárias.

A diretoria do Gipão informa também que, não se trata de um fato novo, tendo em vista que já houveram situações similares em que o clube precisou buscar a justiça para suspender a possibilidade de leilão do estádio João Hora, a exemplo de 2009 em ação de execução fiscal similar.