Esporte na Tela

Justiça do DF nega liminar que impedia o Flamengo de ter público na Libertadores

A decisão foi feita pela juíza da 4ª Vara da Fazenda Pública do DF
Foto: Divulgação Maracanã, no Rio de Janeiro
Maracanã, no Rio de Janeiro

Nesta segunda-feira o Flamengo deu um passo a mais para contar com público na próxima partida da Libertadores da América. A juíza Indiara Arruda de Almeida Serra, da 4ª Vara da Fazenda Pública do DF, rejeitou o pedindo a suspensão do decreto do GDF que liberou a volta dos torcedores aos estádios.

A informação foi apurada pelo jornalista Ancelmo Gois, do jornal O Globo.

Na última quinta-feira, o presidente do clube, Rodolfo Landim, confirmou o local da partida e que apenas alguns detalhes seriam acertados para confirmar a partida no Estádio Mané Garrincha. Após a transferência para disputar a partida em Brasília, o clube foi definir o protocolo para que a partida aconteça seguindo as normas de saúde.

A juíza que negou a liminar que tentava impedir a partida, Indiara Arruda, declarou que “O Poder Público tem adotado diversas medidas no intuito de equilibrar a saúde pública e retomada da atividade econômica, o que está dentro das atribuições do Executivo, dotado de equipe técnica para abalizar as tomadas de decisão" em um trecho da decisão.

Atualmente 15% da população do Distrito Federal está vacinada. Para o torcedor poder entrar no estádio é necessário apresentar o teste PCR negativado. Anteriormente havia sido estabelecido que o público presente deveria estar completamente imunizado (1ª e 2ª dose), mas a decisão foi flexibilizada no último sábado.