Esporte na Tela

Juiz solicita esclarecimentos da CBF sobre numeração das camisas da seleção

O pedido do tribunal se dá em ação de Grupo Arco-Íris que questiona o Brasil ser o único que não usa o número 24 na Copa América
Foto: Douglas Magno / AFP Numeração da seleção brasileira de futebol
Numeração da seleção brasileira de futebol

Nesta quarta-feira o Grupo Arco-íris entrou com um recurso junto a justiça do Rio de Janeiro cobrando esclarecimentos da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O grupo questiona o fato de a Seleção Brasileira ser a única participante da Copa América que não tem um jogador com o número 24. O juiz Ricardo Cyfer, da 10ª vara cível da capital encaminhou um pedido de resposta da entidade, que tem 48 horas para ser cumprida, sobre o questionamento.

Caso a CBF não responda a indagação feita pelo juiz da 10ª vara cível do Rio de Janeiro, a entidade pode receber uma multa diária de R$ 800. Fora a questão da numeração, o Grupo Arco-íris fez outras perguntas à CBF:

  • A não inclusão do número 24 no uniforme oficial nas competições constitui uma política deliberada da interpelada?

  • Em caso negativo, qual o motivo da não inclusão do número 24 no uniforme oficial da interpelada?

  • Qual o departamento dentro da interpelada, que é responsável pela deliberação dos números no uniforme oficial da seleção?

  • Quais as pessoas e funcionários da interpelada, que integram este departamento que delibera sobre a definição de números no uniforme oficial?

  • Existe alguma orientação da FIFA ou da CONMEBOL sobre o registro de jogadores com o número 24 na camisa?

Até o momento, a entidade não se pronunciou sobre a decisão judicial. Neste mês é comemorado o orgulho LGBTQIA+ , sendo o dia 28 de junho, na última segunda-feira, foi o Dia Internacional do Orgulho Gay. A CBF, e vários outros clubes do país como Corinthians, Flamengo e Vasco fizeram manifestações apoiando a causa.