Esporte na Tela

UEFA faz retratação após polemica da proibição de luzes arco-íris nos estádios

A organização recebeu várias críticas de clubes e jogadores após o comunicado vetando o uso de luzes com as cores do arco-íris proposto pela cidade de Munique
Foto: Divulgação Allianz Arena, em Munique
Allianz Arena, em Munique

Por meio de nota, a UEFA, organizadora da Eurocopa, enviou uma retratação por “mensagem equivocada” sobre o veto do uso da iluminação de estádios com as cores do arco-íris. A proposta foi feita pela prefeitura de Munique, após o parlamento húngaro aprovar uma lei que restringe o direitos de informação dos jovens com relação à homossexualidade e transexualidade.

“É verdade, um campo de futebol não tem nada a ver com a política. Trata-se de pessoas, de igualdade, de tolerância. E por isto a Uefa enviou uma mensagem equivocada” publicou Heiko Maas, ministro alemão das Relações Exteriores, em suas redes sociais, que propôs a exibição das cores "no estádio e fora dele" nesta quarta-feira durante a partida da Eurocopa entre Alemanha e Hungria.

Com a rejeição do pedido, divulgado por meio de nota na última terça-feira, a UEFA recebeu uma chuva de críticas pelo posicionamento. Clubes do campeonato alemão sinalizaram apoio ao movimento, e anunciaram que iluminariam os estádios com as cores do movimento LGBTQ+ como sinal de apoio.

Após as crítica, a organizadora da Eurocopa, alterou a logo da entidade em suas redes sociais com as cores do arco-íris. A UEFA ainda descreveu em seu post que o pedido da prefeitura de Munique é que foi um ato político, já que a ideia seria o protesto conta contra as leis conservadoras húngaras.

Confira a nota na íntegra divulgada na pela Uefa:

A UEFA respeita o arco-íris: Hoje, a UEFA orgulha-se de vestir as cores do arco-íris.

É um símbolo que incorpora os nossos valores fundamentais, promovendo tudo em que acreditamos - uma sociedade mais justa e igualitária, tolerante com todos, independentemente da sua origem, crença ou sexo.

Algumas pessoas interpretaram a decisão da UEFA de recusar o pedido da cidade de Munique para iluminar o estádio de Munique com as cores do arco-íris para um jogo do EURO 2020 como "política". Pelo contrário, o pedido em si era político, ligado à presença da seleção húngara de futebol no estádio para o jogo desta noite com a Alemanha.

Para a UEFA, o arco-íris não é um símbolo político, mas um sinal do nosso firme compromisso com uma sociedade mais diversa e inclusiva.