Esporte na Tela

Tite evita confronto com vice-presidente da república em entrevista coletiva

O treinador da seleção brasileira concedeu nessa segunda-feira uma coletiva de imprensa antes da partida contra o Paraguai
Foto: Reprodução/CBF TV Tite em entrevista coletiva concedida nessa segunda-feira (7)
Tite em entrevista coletiva concedida nessa segunda-feira (7)

Durante a crise da CBF, o treinador da seleção brasileira, Tite, concedeu nessa segunda uma entrevista coletiva e falou sobre a preparação da elenco pra a aproxima partida das eliminatórias. O treinador foi questionado, entre outros assuntos, sobre a situação na organização, e preferiu não responder o vice-presidente Hamilton Mourão após alfinetada do político.

Tanto o vice-presidente quanto o filho do presidente e senador, Flávio Bolsonaro, criticaram o treinador da seleção sobre a insatisfação do grupo com a realização da Copa América. O treinador comentou que respeita a competição e uma boa participação iria mostrar ao público seria uma retribuição a confiança depositada nele como treinador.

"Eu vou falar sobre o meu juízo e aquilo que minha escala de valores diz, meu lado ético, minha educação e minha formação, aquilo que Seu Agenor e Dona Ivone gostariam de ouvir. Eu tenho muito respeito ao meu trabalho, respeito à seleção brasileira, a esse momento da Copa do Mundo, de Eliminatórias, e a melhor maneira de retribuir essa confiança das pessoas que estão a meu favor e respeito daquelas que são contra é fazer meu trabalho possível e que a seleção jogue bem e possa vencer. Essa é minha atribuição, meu lugar de fala e a isso que vou me ater." declarou o treinador da seleção em entrevista concedida nessa segunda-feira.

O treinador foi questionado também sobre o afastamento do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) por conta de uma denúncia feita por uma funcionária da organização. Tite, mais uma vez, ficou em cima do muro, mas espera a investigação do caso.

"Nós sabemos a dimensão que tem, sabemos a gravidade do caso, temos consciência disso. Agora existe um comitê de ética da CBF que toma as devidas providências. Acompanhamos, sim, eu sei, mas não é da nossa alçada” pontuou o treinador.

O Brasil volta a campo nessa terça-feira para mais uma partida válida pelas eliminatórias da Copa do Mundo. A seleção canarinho enfrenta o Paraguai, em Assunção, às 21h30.