Esporte na Tela

”Somos contra a organização da Copa América" publica seleção em manifesto

O documento foi publicado pelos jogadores da seleção após a vitória nessa terça-feira
Foto: Lucas Figueiredo / CBF Jogadores titulares da Seleção Brasileira
Jogadores titulares da Seleção Brasileira

Após a Seleção Brasileira vencer o Paraguai por 2x0, os jogadores divulgaram o tão esperado manifesto sobre a Copa América. O documento mostrou a insatisfação do elenco sobre a realização da competição no Brasil. O manifesto foi a público por meio das redes sociais, e os jogadores explicaram que não se expressaram antes pois não queriam que o discurso tomasse um tom “político”.

O capitão da seleção, Casemiro, foi o único que já havia expressado que os atletas estavam unidos em um único posicionamento sobre a competição. O manifesto vem sendo aguardado há uma semana, após a reunião que os jogadores mais experientes do elenco tiveram com o presidente afastado da CBF, Rogério Caboclo. O volante afirmou, em entrevista coletiva, que os jogadores não publicaram antes a decisão do grupo, segundo Casemiro, para não perder o foco dos jogos das Eliminatórias.

Confia a o texto publicado pelos jogadores na integra:

"Quando nasce um brasileiro, nasce um torcedor. E para os mais de 200 milhões de torcedores escrevemos essa carta para expor nossa opinião quanto a realização da Copa América.

Somos um grupo coeso, porém com ideias distintas. Por diversas razões, sejam elas humanitárias ou de cunho profissional, estamos insatisfeitos com a condução da Copa América pela Conmebol, fosse ela sediada tardiamente no Chile ou mesmo no Brasil.

Todos os fatos recentes nos levam a acreditar em um processo inadequado em sua realização.

É importante frisar que em nenhum momento quisemos tornar essa discussão política. Somos conscientes da importância da nossa posição, acompanhamos o que é veiculado pela mídia, mídia estamos presentes nas redes sociais. Nos manifestamos, também, para evitar que mais notícias falsas envolvendo nossos nomes circulem à revelia dos fatos verdadeiros.

Por fim, lembramos que somos trabalhadores, profissionais do futebol. Temos uma missão a cumprir com a histórica camisa verde amarela pentacampeã do mundo. Somos contra a organização da Copa América, mas nunca diremos não à Seleção Brasileira."

O treinador da seleção brasileira, Tite, também já havia expressado que segue do lado dos jogadores na decisão. O treinador já havia confirmado nessa segunda-feira em entrevista coletiva que iria participar da Copa América independente do manifesto, segundo ele, para horar a confiança que depositaram nele como treinador. Após a crise na CBF, com a denuncia de assédio de Rogério Caboclo, a diretoria remanescente na organização garantiu que Tite segue como treinador, e que segue confiando nele para o cargo.