Esporte na Tela

Situação financeira complicada do Barcelona e R$ 8 Bilhões de dívida

Em uma coletiva de imprensa convocada pelo presidente do Barça, o cartola explica situação financeira do clube e acusa antecessor de mentir sobre o patrimônio
Foto: EPA/ALEJANDRO GARCIA Joan Laporta, presidente do Barcelona
Joan Laporta, presidente do Barcelona

O Barcelona segue apresentado problemas financeiros, após a saída do argentino Lionel Messi do clube. A equipe não conseguiu manter o antigo camisa 10 por conta do valor pedido pelo astro, e o presidente do clube, Juan Laporta, convocou uma coletiva para detalhar a atual situação econômica da equipe.

No posto desde março deste ano, Laporta apresentou na coletiva um problema econômico sério no clube. O presidente da equipe destacou que a dívida do Barcelona chegou a ser de € 1,3 bilhão (R$ 8 bilhões).

O ex-presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, divulgou uma carta negando ter deixado o clube em péssima situação financeira, informação rebatida pelo atual presidente. Laporta acusou Bartomeu de mentir e expôs dados sobre a situação da equipe.

- Eles apresentaram um orçamento com hipóteses difíceis de cumprir. Várias delas não foram cumpridas. E, portanto, o orçamento deu menos de € 320 milhões para a temporada 20/21. Provoca uma situação económica e patrimonial preocupante e situação financeira dramática. Em 21 de março de 2021, a dívida era de € 1,35 bilhão – explicou Laporta.

O presidente do clube afirmou que ao assumir o cargo, fez um empréstimo ao banco de 80 milhões de euros para poder assegurar a folha salarial do clube. O presidente abriu um processo para tentar interromper o que ele descreveu como "pagamentos desproporcionais" a intermediários por transferências. O presidente chegou a citar que uma das pessoas contratadas recebeu € 8 milhões para encontrar jogadores na América do Sul.

Fora a questão econômica do clube, o estádio da equipe também não estava na melhor situação possível. O presidente citou problemas estruturais que foram identificados no Camp Nou, citando que o estádio precisava de obras urgentes. De acordo com um relatório entregue ainda em 2019, eram apontados riscos aos torcedores que entrassem no Camp Nou.

- Fomos trabalhar para identificar os problemas e eles foram reparados a um custo de € 1,8 milhões e, graças ao fato de termos agido o mais rapidamente possível, neste domingo conseguimos abrir o estádio. Se tivesse sido possível abri-lo mais cedo, não poderíamos, porque não queríamos colocar os fãs em risco. - pontuou o presidente

Mesmo com a ‘bomba’ sobre a situação financeira do Barcelona, Laporta tentou levar um pouco de otimismo ao fim da coletiva. O presidente deu a entender que o trabalho da diretoria iria trazer melhorias a situação da equipe.

- Já sabíamos que a situação era preocupante, mas os meus companheiros e eu amamos o Barça e tínhamos um plano. Agora estou muito animado e vendo mais o time ontem, convencido de que as decisões certas foram tomadas. tomar. No caso de Messi, triste, mas necessário, porque a instituição está acima de tudo. Foi uma entrevista coletiva para contextualizar certas coisas. Não nos assusta porque o desafio é muito grande e poderemos reverter isso. É uma nova era que nasce que, se estivermos todos unidos, terá muito sucesso, estou convencido – finalizou Laporta.