Esporte na Tela

“Não é só pelo dinheiro em si” declara Marta em protesto por igualdade

A camisa 10 mantém a postura em busca de igualdade dentro da modalidade
Foto: Divulgação/CBF Marta ''esconde'' marca esportiva em foto oficial
Marta ''esconde'' marca esportiva em foto oficial

Marta, em um gesto silêncios, mantém a postura que apresentou na Copa do Mundo Feminino de 2019. A camisa 10 da seleção brasileira vai jogar sem patrocínios e reforça que a atitude “não é apenas pelo dinheiro”. A maior artilheira da história das Copas do Mundo (masculina e feminina) havia recusado, na última Copa, propostas de marcas esportivas por considerar os valores desproporcionais diante de sua história.

Eleita seis vezes melhor do mundo, Marta confirmou que em Tóquio vai manter a mesma postura. A atleta está usando uma chuteira que pede igualdade de gênero, mesmo símbolo que foi apresentado em 2019. A jogadora entende que o gesto ‘silencioso’ é uma forma de continuar incentivando a busca por igualdade na modalidade.

“Estou usando a mesma chuteira. Com o mesmo símbolo, o ''Go equal''. E continua sendo uma opção minha. Não é só pelo dinheiro em si. É toda uma história. Mas muitas vezes, os contratantes da patrocinadora não enxergam por esse lado. É um conjunto de coisas para a minha decisão. E posso ver que, por outro lado, isso ajudou outras atletas” declarou a experiente jogadora, ao GE, às vésperas dos Jogos Olímpicos.

A estreia da seleção feminina de futebol será na próxima quarta-feira (21) frente a China. A partida será disputa às 5h (horário de Brasília), com transmissão em TV Aberta pelo canal Globo. O Brasil, na primeira fase, vai enfrentar a Austrália, Estados Unidos, Suécia e Nova Zelândia no Grupo G e Canadá, Chile, Japão e Grã-Bretanha no Grupo E.