Esporte na Tela

Justiça anula eleição de Caboclo e nomeia Landim para comandar a CBF por 30 dias

O presidente do Flamengo e o presidente da Federação Paulista, Reinaldo Carneiro, foram eleitos para ficar à frente da entidade no próximo mês; a decisão cabe recurso
Foto: Alexandre Vidal/Flamengo Rodolfo Landim, presidente do Flamengo
Rodolfo Landim, presidente do Flamengo

Nesta segunda-feira a Justiça do Rio de Janeiro anulou a eleição, em 2018, que colocou Rogério Caboclo na presidência daConfederação Brasileira de Futebol. A decisão ainda cabe recurso. De acordo com a justiça houve irregularidades na mudança do regulamento da entidade, no tocante ao peso dos votos.

Com a anulação da eleição, o juiz Mario Cunha Olinto Filho, da 2ª Vara Cível da Barra da Tijuca do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, nomeou Rodolfo Landim (presidente do Flamengo), e Reinaldo Carneiro Bastos (presidente da Federação Paulista de Futebol) para comandar a entidade pelos próximos 30 dias.

A justiça determinou que a CBF deve convocar o colégio eleitoral, composto pelas 27 federações e os clube da série A, para a votação da alteração do estatuto do órgão, que havia sido feita em 2015. Fora o peso dos votos, que seria a inclusão de clube da série b nas votações, uma cláusula que barra o registo de candidaturas para a presidência da entidade, e uma diferenciação no peso dos votos.

"Acolhe-se o pedido de destituição daqueles que foram eleitos no pleito decorrente da modificação estatutária que se entende nula, contudo, como já dito, evitando-se uma situação de grave risco de dano e insegurança geral, mantém-se provisoriamente os atuais dirigentes até que se consagrem os novos eleitos, evitando-se vacância, descontinuidade e seríssimos problemas administrativos, além de severos ônus aos interventores", detalha o juiz em sua decisão.

Os convocados, pela assembleia, para a intervenção terão 30 dias para analisar o estatuto iniciando após o “aceito” dos indivíduos. Fora a analise, a entidade terá mais 30 dias para uma nova eleição da entidade para o cargo.

Com a anulação da eleição, toda a chapa de Caboclo, incluindo os oito vice-presidentes, também são afetados. Atualmente a entidade é comandada pelo Coronel Nunes, após o afastamento de Caboclo pela Comissão de ética. O juiz da 2ª Vara Cível da Barra da Tijuca do TJ-RJ declara que:

"Considerando-se a nulidade do ato, a consequência é a destituição daqueles que foram eleitos. Contudo, diante da complexidade organizacional do réu, bem como da evidente consequência danosa de se determinar o afastamento imediato de todos os cargos de direção, que foram objeto da última eleição, o que traria ainda mais prejuízos à CBF (que já se encontra às voltas com o afastamento do Presidente) e a todas as Federações, clubes e torcedores, correndo-se o risco de gerar uma calamidade aos campeonatos, sem prejuízo em providências da própria FIFA, mantém temporariamente aqueles que lá se encontram até que haja a nova assembleia e eleição, a ser conduzida por interventor com essa finalidade específica e transitória", pontuou o juiz.