Esporte na Tela

Com a estrela de Santos, Seleção Olímpica se classifica para a final em Tóquio

O goleiro do Athletico-PR defendeu um pênalti e foi decisivo na prorrogação ajudou a levar a seleção canarinho para a disputa do ouro
Foto: Lucas Figueiredo/CBF Martinelli após converter o pênalti nas cobranças alternadas na semifinal.
Martinelli após converter o pênalti nas cobranças alternadas na semifinal.

Nesta terça-feira o Brasil deu mais um passo em direção ao ouro olímpico no futebol masculino. A seleção olímpica venceu o México nos pênaltis, na semifinal das Olímpiadas de Tóquio 2020. O Brasil vai enfrentar a Espanha que venceu o Japão pelo placar de 1 a 0 na outra semifinal da competição.

No primeiro tempo a Seleção Brasileira conseguiu manter uma pressão sobre os adversários. A alteração de Paulinho no lugar de Mateus Cunha, que não se recuperou a tempo de uma lesão, foi positiva e deu mais velocidade ao ataque brasileiro.

A primeira boa oportunidade brasileira saiu aos 13 minutos. Bruno Guimarães lança a bola do lado direito para o esquerdo, Claudinho faz o corta-luz e ela cai nos pés de Guilherme Arana. O lateral chuta cruzado, e o goleiro Uchoa consegue fazer a defesa. Pouco depois Daniel Alves cobra uma falta direto, mas o goleiro mexicano também sai e faz uma bela defesa.

O México pouco saiu para o ataque, mas nos minutos finais com uma jogada do volante Romo os mexicanos levaram perigo para o gol de Santos, mas finalizaram para fora.

No segundo tempo o panorama foi o mesmo: muita pressão brasileira, mas sem conseguir converter a vantagem em números no placar. A melhor chance da segunda etapa veio do camisa 10 Richarlison que cabeceou na trave mexicana. Os adversários também foram para ofensiva, mas sem muito sucesso.

Com o empate no placar a disputa seguiu para a prorrogação, mas sem muitas oportunidades para ambos os lados. O Brasil até tentou tomar a iniciativa na partida, mas mesmo assim a sólida defesa mexicana travava todos os chutes brasileiros.

Na disputa de pênaltis o goleiro Santos brilhou defendendo a primeira batida, do atacante Eduardo Aguirre, e viu Vásquez carimbar a trave na segunda batida. O Brasil por outro lado converteu com tranquilidade as quatro primeiras batidas e garantir a vaga na final da competição.

Com a classificação a seleção brasileira masculina de futebol chega à terceira final olímpica seguida e se isola como maior medalhista olímpico da modalidade. Ao todo forma sete podiums na história das olímpiadas (Foi ouro em 2016, prata em 1984, 1988 e 2012 e bronze em 1996 e 2008). A decisão da medalha de ouro nesta edição será contra a Espanha, no próximo sábado, às 8h30 (de Brasília), em Yokohama.