Esporte na Tela

Cidade de Tóquio não vai contar com público nas Olimpíadas

Por conta do avanço da pandemia, a organização do evento decidiu não permitir público na competição
Foto: KAZUHIRO NOGI / AFP O anúncio chega algumas horas depois da decisão do governo japonês de decretar estado de emergência
O anúncio chega algumas horas depois da decisão do governo japonês de decretar estado de emergência

Nesta quinta-feira o governo japonês anunciou um novo estado de emergência e, por conta disso, definiu que as olímpiadas não terão a presença de público na capital, Tóquio. Apesar da determinação, outros locais que recebem partidas olímpicas ainda podem receber público reduzido. O período de restrição, imposto pelo governo japonês, vai até o dia 22 de agosto.

Antes da determinação a ministra das Olimpíadas, Tamayo Marukawa, havia explicado que existia uma expectativa da presença de público nos estádios com 50% da sua capacidade. O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, chegou nesta quinta-feira na capital japonesa e se reuniu (de forma remota) com os organizadores.

Peço desculpas a todos que haviam comprado ingressos e que estavam ansiosos para ver as competições. Mas espero que todos compreendam, estamos a duas semanas da cerimônia de abertura. Vamos continuar nos esforçando para garantir a segurança de todos e para entregar os Jogos com sucesso” afirmou Seiko Hashimoto, chefe do Comitê Organizador.

As cedes que estão na Grande Tóquio (Kanagawa, Chiba e Saitama), realizarão as partidas sem público nenhum. Os jogos que forem realizados na região metropolitana da cidade (Fukushima, Miyagi e Shizuoka) ainda podem receber público com até 10 mil torcedores, 50% da capacidade dos estádios. Os torcedores serão exclusivamente de residentes no país. Os estrangeiros estão barrados desde março deste ano por conta do avanço da pandemia.