Esporte na Tela

Brasil bate o Egito e se classifica para a semifinal das Olímpiadas

A seleção apresentou muitos erros no setor ofensivo, mas garantiu a classificação com uma vitória por 1 a 0, com gol de Matheus Cunha
Foto: Lucas Figueiredo/CBF Finalização de Matheus Cunha na partida entre Brasil x Egito
Finalização de Matheus Cunha na partida entre Brasil x Egito

A Seleção Olímpica deu mais um passo em busca do ouro nesta sexta-feira. Com um gol de Matheus Cunha, os brasileiros venceram o Egito por 1 a 0 e avançaram para a semifinal da competição. Com a atuação brasileira o placar poderia ter sido mais tranquilo, mas o setor ofensivo desperdiçou muitas chances ao longo da partida.

O Brasil contou coma volta de Douglas Luiz, que estava cumprindo suspensão, e repetiu a escalação das duas primeiras partidas. Com a volta do meia o Brasil garantiu superioridade durante todos os 45 minutos do primeiro tempo.

Com uma posse de bola superior (66% a 34%) o Brasil conseguiu criar a maioria das oportunidades na primeira etapa. Mesmo assim a defesa egípcia, bem postada em campo, conseguiu barrar boa parte das oportunidades de ataque brasileiro. O Brasil só conseguiu uma chance clara de gol aos 15 minutos com Antony.

O Brasil só conseguiu abrir o placar aos 36 minutos. O goleiro Santos iniciou um contra-ataque lançando para Claudinho. O meia tocou para Richarlison que serviu Matheus Cunha que finalizou com tranquilidade e colocou a bola no fundo das redes.

No segundo tempo o Brasil continuou melhor em campo, e com mais criatividade. Com a moral elevada, Douglas Luis tentou ampliar o placar logo nos primeiros minutos, mas a bola passou perto da trave e foi para fora. O Brasil pressionou muito, mas não conseguia acertar o último passe para o gol e o placar não sofreu nenhuma alteração.

Com a vitória por 1 a 0, o Brasil garantiu a classificação para a semifinal das Olímpiadas. O adversário da semifinal é o México, que venceu por 6 a 3 a Coreia do Sul. A partida da semifinal será na próxima terça-feira no estádio Ibaraki Kashima, às 5h (horário de Brasília