Esporte na Tela

Arábia Saudita considera pareceria com Itália para sediar o Mundial de 2030

A candidata a sede, Grã-Bretanha, perdeu força por conta dos atos de racismo contra jogadores da seleção inglesa
Foto: Reprodução Taça da Copa do Mundo
Taça da Copa do Mundo

De acordo com informações do portal esportivo ‘The Athletic’ a Arábia Saudita tem o interesse em lançar a candidatura para sediar a Copa do Mundo de 2030, mas em parceria com a campeã da Euro 2020. A principal candidata, Grã-Bretanha, perdeu força por conta dos incidentes no país.

A final da Eurocopa 2020, em Wembley, contou com algumas polemicas como a invasão de quase vinte mil torcedores no estádio no dia da decisão. A confusão no lado de fora do estádio, onde várias pessoas, como o pai do zagueiro Harry Maguire, saíram feridas trouxeram consequências para a candidatura do país para se tornar sede do mundial na próxima década.

O ‘The Telegraph’, jornal inglês, também destacou que os recentes problemas racistas que alguns jogadores da seleção inglesa vêm sofrendo também traz problemas para a candidatura. Com todos esse problemas ‘administrativos’ refletem na imagem do país e na possibilidade de sediar.

Já a Arábia Saudita observa a possibilidade de seus vizinhos, Marrocos e Egito, de sediar a competição em próximas edições e se organiza para lançar sua candidatura. O portal esportivo ‘The Athletic’ apurou que os Árabes estudam uma possível parceria para sediar com outro país. O mais cotado é a Itália.

Com a alteração do número de participantes da Copa do Mundo de 2030 de 32 para 48 seleções participantes na Copa do Mundo, a Fifa tende a aceitar que o torneio seja realizado em mais de uma nação.